O que é a colonoscopia?

A colonoscopia é um exame realizado por um médico especialista de Gastrenterologia.

A colonoscopia é um exame que permite a visualização de todo o intestino grosso e parte do intestino delgado, correspondente ao reto, ao cólon e o íleo terminal.

O colonoscópio é um tubo flexível, longo e fino, com comprimento que pode atingir aproximadamente 185 cm e um diâmetro que varia entre 1,0 e 1,3 cm.

Este exame pode ser realizado com sedação ou sem sedação.

O exame realiza-se através da introdução do colonoscópio pelo ânus e progressão do mesmo até ao início do cólon (região do cego) e íleo terminal.

Na extremidade do colonoscópio há uma microcâmera que transmite as imagens para um monitor, permitindo que o médico observe e grave o que ocorre dentro do intestino grosso. Os últimos centímetros do colonoscópio são articulados e podem girar em vários ângulos, para facilitar a visualização de todo o interior do cólon.

Através deste exame é possível identificar diversos tipos de patologias e efetuar biopsias (obtenção de pequenos fragmentos com uma pinça) e/ou polipectomias (remoção de pólipos) sempre que o médico executante considere o procedimento exequível. Estes serão enviados para análise, a executar por um médico especialista em Anatomia Patológica.

A colonoscopia geralmente dura aproximadamente entre 30 a 45 minutos, dependendo do que for encontrado e da angulação do intestino do utente.

O exame inicia-se com o utente deitado sobre o lado esquerdo. É necessário a insuflação de ar para distender as paredes intestinais, de forma a permitir uma correta visualização, o que pode causar desconforto/dor. Durante o exame, poderá ser necessário alterar a sua posição e/ou efetuar manobras de compressão abdominal, tendo como objetivo facilitar a progressão do aparelho e reduzir a intensidade do desconforto/dor.

Após a colonoscopia, ficará no recobro sob observação até se encontrar em perfeitas condições, para ter alta.

Recomendações antes do exame:

Para que este exame seja realizado em boas condições, o seu intestino deve estar completamente limpo: a presença de fezes pode levar à interrupção do exame ou à não visualização de algumas lesões (como por exemplo os pólipos). Para tal, deve seguir com rigor as seguintes indicações:

  1. Seguir atentamente cada uma das indicações relativas à preparação intestinal dada pela enfermeira.
  2. No dia do exame deve apresentar-se em jejum absoluto (não ingerir líquidos, INCLUSIVE ÁGUA, ou qualquer alimento sólido, nas 4h anteriores à realização do exame).
  3. Certifique-se que terá análises recentes, nomeadamente hemograma com plaquetas, bioquímica (glicose, ionograma, ureia e creatinina) e estudo coagulação.
  4. Ser portador da lista de medicação habitual.
  5. Se estiver a tomar medicamentos que influenciem a coagulação do sangue ou plaquetas (como por exemplo: Plaquetal, Plavix (Clopidogrel), Tyklid (Ticlodipina), Varfine ou Sintrom entre outros) deve consultar o seu médico assistente no sentido de avaliar ou não a suspensão dessa medicação.
  6. Se estiver a tomar ferro deverá parar o Ferro uma semana antes da realização do exame.
  7. No dia do exame comparecer no 2o andar das nossas instalações, acompanhado de segunda pessoa.

Dispomos de uma consulta de enfermagem, na semana que antecede o exame com o desígnio de esclarecer todo o procedimento inerente à Colonoscopia e quais os cuidados necessários para a limpeza do cólon.

Recomendações para os exames da manhã:

Recomendações para os exames da tarde:

Recomendações após o exame:

Se forem retirados pólipos, o médico pode aconselhá-lo a não tomar aspirina e anti-inflamatórios durante uma ou duas semanas. É importante ingerir bastantes líquidos para evitar que desidrate. Nas primeiras seis horas, deve ser feita uma dieta leve, com alimentos de fácil digestão. Após esse período, se estiver bem-disposto, pode fazer uma dieta normal.

Possíveis complicações e riscos:

As principais complicações são a hemorragia e a perfuração intestinal, que são raras nos exames de rotina, tornando-se mais frequentes quando são realizadas biopsias ou polipectomias. Geralmente estas complicações são resolvidas com técnicas endoscópicas ou terapêuticas médica conservadora, mas, em último recurso, poderá ser necessário internamento hospitalar ou realizar uma cirurgia de urgência. Como em todos os atos médicos interventivos há um risco de mortalidade, embora muito reduzido (menos de 0,1%). Os pólipos de maiores dimensões, associados portando a maior risco de complicações, poderão ter indicação de resseção em serviços hospitalares diferenciados.

Se o exame for realizado com sedação anestésica, há riscos específicos associados aos fármacos utilizados nestas circunstâncias.

 

Retossigmoidoscopia:

A retossigmoidoscopia permite a visualização do reto, sigmoide e cólon descendente, que são as regiões do intestino que mais frequentemente apresentam lesões toda mucosa.

2015 © Copyright - Healthways Group

Desenvolvido por: FS & NS